O Ministério da Saúde lançou a campanha nacional de prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Com o conceito “Sem camisinha, você assume esse risco” a campanha, criada pela agência nova/sb, busca conscientizar os jovens entre 15 e 29 anos sobre a importância do uso do preservativo.  Pesquisas demonstram que o uso do preservativo vem caindo, ano a ano, principalmente entre o público jovem. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), todos os dias, ocorrem 1 milhão de novas infecções no mundo todo. Doenças antigas comuns na Idade Média, como a sífilis, ainda hoje pode ser considerada uma epidemia.  Por esse motivo, se faz necessária uma comunicação forte e eficiente, que toque no ímpeto imediatista dos jovens, reafirmando a importância do uso do preservativo e reforçando que basta uma relação desprotegida para que sejam infectados.  A Campanha:  Usando o formato “react”, bastante conhecido nos vídeos vistos pelos jovens, a campanha busca instigá-los a procurarem na Internet por imagens dos sintomas de algumas dessas infecções para terem uma real noção do que pode acontecer com quem não se previne. Nas peças, aparecem as reações dos jovens ao verem imagens de doenças que podem ser prevenidas com o uso da camisinha, além da Aids, sífilis, gonorreia, cancro mole e herpes genital. Além de estimular o uso da camisinha, a campanha tem também o objetivo de estimular o diagnóstico precoce, informando que toda a rede de saúde está apta a fazer os testes de infecção e o tratamento dessas doenças. A maioria dos testes são feitos de forma instantânea.  Para abordar um tema tão importante e com tantas frentes, o Ministério da Saúde lançou mão de uma série de filmes, vídeos, ações e peças de Internet que abordam o tema em diferentes pontos de vista.  Na TV e Internet, a campanha é corporificada por filme que demonstra a reação das pessoas ao verem os sintomas. O filme começa com a frase “Convidamos alguns jovens a pesquisarem os sintomas das Infecções Sexualmente Transmissíveis – IST”. A partir daí, foram captadas as reações reais dos personagens ao verem as imagens das doenças. O espectador não vê as imagens pesquisadas, vê as expressões de susto, incômodo e agonia dos personagens. O filme termina com o conceito “Se ver já é desagradável, imagine pegar. Sem camisinha, você assume esse risco. Use Camisinha e se proteja dessas IST e de outras, como HIV e hepatites”. A campanha conta também com depoimentos reais de pessoas que já tiveram alguma doença sexualmente transmissível. Elas falam sobre como pegaram e como lidaram com essa experiência. Além dos filmes, a campanha conta também com ação em cinema, mídia exterior, rádio, Internet, cartazes para banheiros e anúncios. As peças gráficas da campanha contarão com um QR Code que, ao ser escaneado, mostrará os sintomas das ISTs.

Filme

Impressos

OUTRAS CAMPANHAS DESTE CLIENTE