Resposta à FSP

Caro editor,

Com relação à matéria publicada na Folha Online em 15.01.2020, sobre o chefe da
Secom ser sócio de uma empresa que presta serviço para o setor de publicidade,
fomos citados, sem sermos ouvidos, como manda o bom jornalismo e consta no
manual de redação da Folha.

Só nos restou esclarecer nesse espaço:

1)    A empresa citada na matéria é contratada desde 2010 pelas agências de
publicidade licitadas pela Caixa, para fazer checking, análise de mercado e
banco de dados com anúncios e filmes de todo o setor bancário.
A referida empresa, que tem especialidade neste tipo de serviço, foi escolhida
por ter ofertado o menor preço. Esses serviços são essenciais para a boa
aplicação da verba de publicidade das empresas públicas, inclusive para
verificação dos trabalhos realizados.

2)  A renovação de contratos da nova/sb com demais clientes do Governo
Federal ocorreu na total normalidade e observância da Lei e sem interferências
de qualquer natureza por parte da Secom. Aliás, destaca-se que estranho seria
se estas renovações previstas em Lei, no Edital de Concorrência e no contrato,
não tivessem acontecido, pois motivo não teriam para tanto.

Ana Cristina Oliveira – Assessoria de imprensa Nova/sb